Startup cresce 700% em um ano com automação de gestão financeira de empresas

Fazer a gestão financeira do negócio é um desafio para a maioria dos empreendedores - e, com os efeitos da crise do novo coronavírus, essa tarefa se tornou ainda mais importante, dada a necessidade de maior eficiência da operação e corte de custos. Com uma solução que promete automatizar esses processos financeiros por meio de inteligência artificial, a fintech Celero cresce 25% ao mês e aumentou em 700% sua base de clientes em 2019.


Na última segunda-feira (1), a startup captou seu segundo aporte (valor não revelado), liderado pelo fundo paranaense Honey Island — criado pelos cofundadores do Ebanx.


A Celero foi fundada por João Augusto Betenheuzer, João Tosin e Pedro Chaves. Betenheuzer e Tosin tiveram a ideia da startup durante a faculdade de administração, quando avaliaram que as aulas de estatística eram importantes para a gestão de um negócio, mas não atraíam a devida atenção dos alunos em sala de aula.


“Pensamos em quantas empresas quebrariam porque as pessoas não saberiam fazer as finanças do negócio. Alguns anos depois, fizemos uma pesquisa e confirmamos que 85% das empresas não sabem o que é gestão financeira”, afirma Tosin.


Com uma ideia em mente, os jovens começaram a oferecer serviços financeiros para pequenas empresas a distância em 2015. Era o início da Celero, antes chamada de J2 Consulting. Eles recebiam os documentos via Dropbox, serviço de compartilhamento de arquivos em nuvem, e digitavam os dados no Microsoft Excel. Cada pagamento era, então, agendado individualmente nos bancos — um processo, até então, manual.


“Em 2016, oficializamos a mudança de nome da empresa para Celero e automatizamos a gestão financeira. Hoje, a inteligência artificial pode classificar notas fiscais com apenas uma foto do documento. O cliente não precisa entender nada de finanças. O único trabalho que ele vai ter é aprovar relatórios e números com o banco. Tudo em quinze minutos por dia”, destaca o empreendedor.


Além de automatizar processos, Tosin afirma que a plataforma centraliza a vida bancária dos clientes. Ou seja, se ele possui várias contas em banco, por exemplo, pode acompanhar todas de forma de forma integrada. Atualmente, mais de 80 instituições bancárias brasileiras operam com a plataforma. “Se ele não acompanha as contas direito, pode ter dificuldades para declarar imposto e até obter crédito”, alertou o administrador de empresas.


De acordo com Tosin, 90% dos clientes da empresa são empresas de pequeno e médio porte, do setor de serviços. Com o aporte recebido essa semana, a startup deve oferecer seus serviços também para o varejo e para pequenas empresas.


Com resultados acima do esperado para o período, a Celero espera chegar até o final do ano com 2,3 mil clientes (hoje tem 500) e deve passar de 55 funcionários a 130 no mesmo período, em sua sede em Curitiba.


“Somos abençoados. É difícil ser otimista diante do cenário externo, mas quando olhamos para dentro, vemos uma empresa crescendo. Quanto mais a gente ajuda o cliente, mais temos resultados”, conclui Tosin.


FONTE DA NOTÍCIA: GAZETA DO POVO

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo
Fale conosco