Liberdade de expressão nas redes sociais

O mundo virtual, liderado pelas redes sociais que conectam milhões de pessoas, oportuniza a todos, sem distinção, uma eficiente ferramenta de comunicação. Através de canais como Facebook, Instagram e Twitter, para citar os mais utilizados no Brasil, é possível acompanhar o que acontece em todo o mundo e no mundo de cada um.


Na microrrede de amigos, aqueles que estão conectados a um determinado perfil é possível mobilizar adesões a uma causa, provocar calotes coletivos, ou mesmo saber o que o indivíduo fez ou está fazendo, ainda é possível localizá-lo. A distância do mundo virtual para o mundo real também encoraja as pessoas a emitirem opiniões sobre os mais variados temas, momento em que é oportuno ter consciência de que existem previsões legais para isso. A liberdade de expressão tem limitações que não podem atentar contra a honra ou se tornar uma ofensa.


No âmbito da internet as discussões políticas, são um exemplo, se tornaram destruidoras no que diz respeito à honra. Defender pontos de vista é diferente de hostilizar outra pessoa que não concorda com suas ideias, desta forma facilmente a discussão vai extrapolar a liberdade de expressão e pode se tornar um abuso de direito. A ofensa, discriminação e a ameaça digital podem levar a indenizações que variam de 10 mil reais a 30 mil reais, segundo decisões do judiciário.


Em outras ações também é preciso ficar atento, ajudar a disseminar conteúdo ilegal pode ser considerado como uma colaboração ao ilícito e a pessoa responderá pela participação, mesmo que pelo whatsapp. A curtida no Facebook, não tem o mesmo peso para a lei, mas se o usuário for monitorado, e isso deixar evidente que ele curte tudo que é ilegal, é possível ser responsabilizado também. A Constituição garante a liberdade de pensamento, expressão e/ou manifestação, mas veda o anonimato. É livre de censura, a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, que não podem ser impedidas de divulgação. E aquele que extrapola o limite da expressão pode ser atingido por outra previsão constitucional do direito à vida privada, à imagem e à honra.


Usar as redes sociais como ferramentas diárias de comunicação é hábito, mas que deve ser responsável. As empresas e marcas cada vez mais atentas ao assunto, buscam competência e habilidade de profissionais para se protegerem de riscos desnecessários e crises que podem surgir, quando um usuário extrapola seu direito à liberdade de expressão. Gerenciar redes e alinhar a linguagem em cada canal de comunicação é uma das atividades desempenhadas pela .Ai5. Comunicação e Estratégia.

3 visualizações
Fale conosco